BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quarta-feira, janeiro 10, 2018

Um balanço de Pega Pega e a estreia de Deus salve o Rei

Pega Pega chegou ao fim na última segunda como a maior audiência do horário desde Cheias de Charme, de 2012, com 29 pontos de média final. O último capítulo obteve 36 pontos, o maior ibope da novela desde seu início. A trama nunca foi lá essas coisas, mas era um bom entretenimento (sem maiores pretensões, divertia e emocionava o público), visto que neste horário, principalmente, não há nada de interessante nas principais concorrentes da Globo (TVs abertas). Muitos atores se sobressaíram, e os cinco mais foram:

  1. Nanda Costa (Sandra Helena).
  2. João Baldasserini (Agnaldo).
  3. Marcelo Serrado (Malagueta).
  4. Mariana Santos (Maria Pia).
  5. Guilherme Weber (Brigitta/Douglas).
Os piores foram Mateus Solano e Camila Queiróz (pálidos como Eric e Luiza).

Enfim, Pega Pega sai de cena com louvor: excelente audiência.

Nota da novela: 7,0 ⭐⭐


Sua substituta, Deus salve o Rei, estreou nesta terça, e a Globo merece todos os parabéns pelos efeitos especiais, que não deve nada a Game Of Thrones. O primeiro capítulo foi ao ar sem grandes acontecimentos: o povo de Montemor continuou sem água e houve uma batalha entre a trupe de Afonso e ladrões, com o príncipe ferido e a mocinha o encontrando. Pudemos conhecer a história de Catarina, a princesa má de Artenas. 
  1. Johnny Massaro foi a melhor coisa do primeiro capítulo. Rodolfo é muito engraçado.  O ator está seguro, valeu todas as suas cenas.
  2. Faltou Tatá Werneck (buá-buá).
  3. Rômulo Estrela como herói de capa-e-espada está ótimo. Ele é muito bom ator.
  4. Menções honrosas para Rosamaria Murtinho e Marco Nanini.
  5. Bela abertura, mas nos créditos Bruna Marquezine, Marina Ruy Barbosa e Johnny Massaro aparecem antes de Rômulo Estrela (o verdadeiro protagonista). Não deveria.
  6. Marina Ruy Barbosa é a eterna mocinha das novelas das sete (não compromete sua atuação, apesar de Amália ser igual à Elisa, de Totalmente Demais).
  7. Bruna Marquezine, aparentemente, não está bem (parece forçar sua interpretação). 
  8. É sempre bom ver Caio Blat atuando.
  9. Leandro Daniel e Daniel Warren prometem.
  10. Tarcísio Filho está ainda mais parecido com o pai, o Tarcisão, e não é apenas na aparência. Grande ator!
  11. A personagem de Débora Olivieri vive às turras com o marido (Giulio Lopes). Naquele tempo, mulher podia ir contra o que pensava o marido? 
  12. Vinícius Redd (o irmão da Marina R. Barbosa) foi bem.
A audiência do primeiro capítulo foi de 29 pontos, segurando a boa média de Pega Pega.

Nota da novela (até agora): 8,0 ⭐⭐⭐


10 curiosidades sobre Leandro Lima, o novo repórter do Dancing Brasil (da Xuxa)

Sérgio Marone, que é melhor repórter do que ator, até tentou uma carreira como apresentador, além de repórter do programa de Xuxa, participou do Hoje em Dia por duas vezes cobrindo as férias de César Filho. Detalhe: a audiência foi maior com ele. No entanto, quis a Record que ele continuasse como ator. No ar em Apocalipse, Marone abriu uma vaga no Dancing Brasil, que estreia a 3ª temporada no dia 17 de janeiro. Duda Nagle e Dudu Azevedo foram testados, Duda mais por causa de Sabrina Sato, ele é namorado dela, mas ambos foram reprovados. O novo repórter do Dancing Brasil será Leandro Lima. Quem?
Ficha técnica de Leandro Lima, o novo repórter da Xuxa:

  1. Leandro tem 35 anos (quase 36) (nasceu em 25 de fevereiro de 1982, é do signo de Peixes).
  2. Já foi cantor (participou do Fama, de Angélica, em 2005 - não chegou na semifinal).
  3. Já foi modelo.
  4. Papéis na TV: foi um garoto de programa em Passione (com a Maitê Proença), fez Joia Rara (talvez seu papel com mais significância) e, atualmente, participa de Belaventura (já gravada).
  5. Além de se sobressair nos testes com o microfone, foi escolhido por conta de sua beleza e carisma.
  6. É pai de uma menina de 17 anos.
  7. Foi casado com a jornalista Daniela Lins.
  8. Atualmente, é noivo de Flávia Lucini (modelo).
  9. Se for bem como repórter de Xuxa, sua carreira tomará proporções melhores (ele já participou do Saltibum, do Huck, em 2015).
  10. Já posou nu (ver foto abaixo).
Se não for bem, se tiver uma quarta temporada, que volte Marone e seu "é com você, Xuxá (com acento agudo na letra a mesmo)".







quinta-feira, janeiro 04, 2018

O mundo invertido

O Jornal da Globo perdeu com a saída de William Waack. Sim, os brasileiros são preconceituosos, não só o William (se é que ele é, sua frase foi), e não só com negros. No entanto, é o jornalista mais competente da atualidade. Não faz a linha do politicamente correto. Não se justifica o que William fez, não há nem defesa para o ato (racismo é crime, mas ele nem foi preso), mas na Globo, principalmente, fazia a diferença, não era engessado (ele não é bonitinho como o Evaristo, que saiu, nem tão simpático como a Annemberg, mas n vezes melhor que seu xará, o Bonner, tinha opinião, doa a quem doesse). 
O mundo está feminista demais, sou a favor da igualdade, de todos serem corretos uns com os outros, mas este "feminismo" prega que mulher pode trair igual ao homem. Ninguém deve trair, caramba! É visto com bons olhos uma mulher ir à (revista) Veja e declarar que traiu todos os homens de sua vida, menos o atual, claro. Não, isso não é bonito para mim. Não deveria ser para ninguém. Isso é ser feminista? Até onde eu sei feminismo não era para ser o contrário de machismo, mas é isso que está acontecendo com o mundo. 
Temos, então, que aceitar Pablo Vittar, ops, a Pablo Vittar, o não binário, a cantora com nome de homem, mas que é homem, mas que não canta nada para sequer ser chamada de cantora. O atual sistema precisa de um não binário. Bando de hipócritas. Os mesmos que afundaram William por aquele comentário infeliz, são os mesmos que fazem aquele comentário infeliz todos os dias. A censura tomou conta e isso dá medo. Os caras odeiam os negros, mas fingem gostar. As mulheres traem os homens, para se igualar. Está tudo invertido. 
Eu entendo que a demissão de Waack foi a decisão acertada (uma pena pelo profissional). Não sou negro, não faço ideia do que é ser chamado de preto (naquelas proporções), do quanto isso pode ferir, sou homem, sou capaz de saber como é ser abusado sexualmente/verbalmente (tirando as cantadas de outros homens, que, com respeito, tiramos isso de letra) (Assédio sexual e moral é crime, mas ninguém é preso por isso). Respeitemos o ser humano do jeito como ele é. O mundo está politicamente correto, está chato.
Não consigo enxergar um retorno de José Mayer às novelas. Foi correto ele ter sido denunciado? Foi, óbvio! O que não entra, de jeito nenhum, é as tais atrizes nunca o terem denunciado? Tem muita coisa omitida nessa história.
Precisamos de leis mais severas. Cometeu um crime, seja qual ele for, tem que pagar pelos seus atos, mas precisamos de mais verdades. Fica tudo nas entrelinhas, nada é aprofundado. Direitos humanos para humanos direitos. Quero sonhar com um mundo melhor. Posso?
Mulher, hoje, deve se comportar igual às grandes cantoras atuais? Esqueçam os padrões religiosos. Homens, para que servem mulheres que rebolam com shortinhos minúsculos? É dessa forma que querem o respeito dos homens? Esqueçam o machismo (isso é retrógrado), mas homem é muito visual. Caminhemos para frente! Muita coisa não dá para mudar: homem tem pênis, mulher menstrua. Amanhã, do jeito que a coisa anda, os homens estarão usando absorvente sem precisar. 
Eu não sou homofóbico, só para constar, porque hoje é preciso falar disso. Sem rótulos, por favor, somos humanos, todos nós, seja qual for a sua orientação.
Se pararmos para pensar, tudo é política, tudo envolve dinheiro. Nada é feito para o bem do povo. Desculpem o desabafo, mas estou com ânsia disso tudo. Dessa coisa de "coxinha" e "mortadela", de corruptos voltando para suas casas, sem devolver um tostão para os cofres públicos, para essa Lei Rouanet que deixa até os mais respeitados artistas ávidos por sempre mais dinheiro, com o descaso com os professores, com a saúde pública, com tanta gente morrendo às custas do Querer sempre o Poder.

Em tempo: ainda sobre o Waack, mesmo ele tendo falado uma frase racista, seja ela uma piada ou não, isso não justifica, a Globo não lhe deu a chance de se desculpar e/ou se explicar.

Resposta de William (14 de janeiro de 2018): leia aqui.

A melhor entrevista de William você aqui, coisa que não se viu na Globo.

Com isso, reitero a primeira linha do post: Jornal da Globo perdeu com a saída de William Waack.

Stranger Things, a série

Após assistir Gilmore Girls (todas as temporadas) (leia a crítica aqui) e Outlander (vou escrever ainda sobre a série, prometo!), tentei Supernatural (Sobrenatural). Parei no oitavo episódio da temporada 1. Desculpem os fãs da série, os atores são bons, o enredo é bom, mas não engolia os desfechos. Parei, achei melhor assim. Com o fim de Outlander na FOX Premium (terceira temporada), busquei algo na Netflix, estou começando nessa coisa de série. Como todo mundo falava de uma tal de Stranger Things, foi a escolhida. Não custava tentar.
Sou cria dos anos 1980, via He-man, Os Caça-Fantasmas, X-Man, o filme Conta Comigo vi centenas de vezes na Sessão da Tarde, assim como E.T. - o extraterrestre e Stranger tem muito disso (por viver nos anos 1980, e nem só por isso, porque lembra E.T., lembra os garotos de Conta Comigo, lembra os X-Man, o He-man e Os Caça-Fantasmas).
Stranger Things é o tipo de série que te pega já na primeira cena. O elenco infantil é espetacular. Impossível um garoto não se ver na pele de Mike, Dustin, Lucas e Will (muitos dos atores de Stranger sigo no Insta desde já). Quem gosta de romance, torce para Nancy e Jonathan e/ou Nancy e Steve. Se a temporada 1 é especial (pelo mistério, pela Onze, pelos garotos carismáticos, pela loucura da Joyce), a temporada 2 é ainda mais empolgante, porque além de todos os já citados, tem a MadMax (referência pura), o D'artagnan, os monstros são mais reais (não desmerecendo os da primeira) e tem fliperama.
A ideia não é resumir a história (sem spoilers, por favor!). Para um noveleiro de plantão soa até engraçado: não me importo em saber se a Clara vai descobrir ser filha da Duda na novela das nove, enquanto que com séries, fico endiabrado se no Facebook um bobão posta algo sobre o que ainda vai acontecer (e se não tomo cuidado, lá estou lendo um spoiler). A ideia é sair comentando que a série é formidável, escutar de alguém que também achou a série phoda, ou empolgar alguém a assistir, tendo a certeza que a pessoa vai adorar. 

Stranger Things é essa série.

Em tempo: é muito bom rever Winona Ryder. 

Assista ao clipe de lançamento de Deus salve o Rei, a nova novela das sete da Globo


Tal mãe, tal filha

Assim como a mãe Xuxa, Sasha está sendo questionada por conta de sua orientação sexual. Xuxa viveu no século passado (pouca informação e outras coisas), e mesmo nunca se ter visto Xuxa com uma mulher, vários foram os falatórios: Xuxa com Marlene, Xuxa com Simone, Xuxa com as paquitas, Xuxa com Ivete, Xuxa com Maria Gadú, ou seja, a lista de pretendentes para Xuxa foi imensa. Xuxa (a rainha apaixonada), aliás, está "casada" com o cantor e ator Junno há cinco anos. Já foi namorada de Luciano Szafir (pai de Sasha), Ayrton Senna, Pelé, entre outros. Agora, Sasha (a princesa apaixonada), sua filha, está namorando (seu primeiro namorado) o ator Bruno Montaleone (de uma dessas Malhação). A carreira dele deslanchará, afinal, todos os olhos estão voltados para o príncipe Montaleone. Ainda assim, tal como sua mãe, a história se repete. Na internet, pipocam boatos de que Xuxa "plantou" na mídia um namorado para a filha, para esconder a homossexualidade dela. É isso mesmo? Se Sasha fosse mesmo homossexual, será mesmo que ela não assumiria? Haja paciência, estamos no século XXI! As garotas Meneghel e a saga de pagarem um preço alto por serem famosas. Justo ou não, essa é a sina da mãe e da filha.



quarta-feira, janeiro 03, 2018

Por que os críticos odeiam Walcyr Carrasco?

Por que o autor Walcyr Carrasco é tão odiado pela crítica? Walcyr iniciou como autor em 1989 com Cortina de Vidro, do SBT, a trama que contou com Sandra Annemberg (sério, você não leu errado, dá um Google na carreira da jornalista e assista aos vídeos dela como atriz) num dos papéis principais. A novela foi um fracasso, com míseros 6 pontos de audiência. No entanto, não é desse ano que conheço o trabalho de Walcyr, mas, sim, como colunista da revista Contigo, nos anos 1990. Era, sem dúvida, a melhor coluna da revista (Parabólica). Walcyr comentava as novelas da época, a interpretação dos atores etc. (algo como o Mr. TV faz, mas com a assinatura Walcyr Carrasco) (Sim, Walcyr é referência para o blog). 
Seu retorno à TV como autor aconteceu em 1996 com Xica da Silva (ele assinava o pseudônimo Adamo Angel, pois tinha um contrato com o SBT). A trama foi um dos maiores sucessos da TV Manchete (extinta um tempo depois). Silvio Santos não o repreendeu ao descobrir. Com isso, nasceu Fascinação (uma das novelas mais bonitas do SBT). Diante de dois acertos televisivos seguidos, a Globo, rápida, o contratou. O Cravo e a Rosa, Chocolate com Pimenta, Alma Gêmea, Caras e Bocas, Morde e Assopra, Gabriela, Amor à Vida, Verdades Secretas, Êta mundo bom! e O Outro Lado do Paraíso são sucessos inegáveis. Houve dois fracassos: A Padroeira e Sete Pecados. Walcyr é o autor que mais trabalha na Globo, quase uma novela por ano. Ele também já declarou ser fã de Ivani Ribeiro (Ivani era um ícone da TV, anos-luz melhor que Janete Clair, outro ícone). Ele escreveu 15 novelas e apenas três não obtiveram o êxito desejado, mas mesmo assim ele é pisoteado pela crítica. Por quê?
Walcyr é um jornalista/colunista de TV que deu muito certo na TV. Do tempo da Contigo é o que foi mais longe (acho que isso ainda dói). A crítica insiste em apedrejar seus diálogos. Manoel Carlos, o rei dos diálogos, não faria sucesso hoje com as sequências intermináveis de bate-papo no sofá da sala entre seus personagens, o público de hoje quer ritmo, a todo momento, tão verdade é isso que as últimas tramas do autor foram insucessos (Viver a Vida e Em Família). Entretanto, em uma coisa eu concordo, ele pode sim se aprofundar um pouco mais no drama dos personagens. Mesmo assim, O Outro Lado do Paraíso é superior à A Força do Querer. Nas conversas com os telespectadores que assistiam à A Força do Querer e continuaram com O Outro Lado do Paraíso, a resposta é sempre a mesma. Todos preferem a de Walcyr. Glória Perez frustou a maioria por ter deixado tudo para o último capítulo e não ter focado no reencontro de Ruy e Zeca. Isso os renomados críticos não falam (não é uma crítica à novela anterior, que assistia com entusiasmo), mas a atual tem ritmo de série, nenhum capítulo fica enrolando. Não à toa, Walcyr ostenta o título de fenômeno de audiência. 

BruMar é só love (de novo): atenção, é ano de Copa do Mundo!

Se tem um casal chato, este casal se chama Bruna Marquezine & Neymar. Eles têm fãs, ainda por cima. Não consigo entender essa coisa de ser fã de um casal. Eles foram chipados* como BRUMAR. Argh! (*aos que não sabem o significado da palavra chipar, é quando você gosta de uma pessoa formando par com outra e junta os nomes). Pode isso? O vai-e-vem de Bruna e Neymar é uma ânsia. BRUMAR juntos de novo foi ótimo para o lançamento de Deus salve o Rei (estreia dia 9), com Bru no elenco. BRUMAR, juntos de novo, espero que não atrapalhe a Copa. É ano de Copa. Foco nisso BruMar

5 passos para Elizabeth/Duda se tornar um dos melhores papéis de Glória Pires na TV

Glória Pires, cujas maiores personagens foram Maria de Fátima, Ruth e Raquel, Maria Moura e Norma, vive Elizabeth/Duda em O Outro Lado do Paraíso e tudo leva a crer que o drama da atual personagem dê à atriz um novo fôlego a sua belíssima carreira. Elizabeth/Duda é um personagem coadjuvante, mas está interligado a todas as histórias. No entanto, o que falta para a personagem ser coroada entre as melhores personagens da história de Glória Pires na TV?

Para Walcyr Carrasco, autor da trama:

  1. Glória Pires é mestre em drama. Duda/Elizabeth é drama puro. Faça Glória chorar. Glória leva o telespectador às lágrimas toda vez que chora. Na cena em que Duda se abre com Clara e diz que sua vida não tem mais jeito, Glória chorou. Mesmo que por segundos, o público chorou junto.
  2. Sua personagem foi inspirada em Madame X. Portanto, tire-a do plano "coadjuvante" e invista em Glória Pires. Não tem como dar errado. Aproveite muito bem os reencontros de mãe e filhas. Crie cenas antológicas, vide Antônio Fagundes e Mateus Solano na cena final de Amor à Vida (2013).
  3. A personagem, depois que o inferno da prisão acabar, precisa de um lindo amor. Invista no sorriso da atriz. É cativante. Afinal, nem tudo são lágrimas. 
  4. A redenção da personagem. Ela precisa ser implacável com Jô e Natanael.
  5. Queremos mais Duda com Caetana, invista na dupla. 
Em Paraíso Tropical, Glória Pires entrou na novela a partir do capítulo 30. Gilberto Braga até hoje se arrepende disso. Glória Pires não se desperdiça, disse ele na época. Tome nota, Walcyr Carrasco!

sexta-feira, dezembro 22, 2017

Troféu Mr. TV, edição 2017




Novela do ano: O Outro Lado do Paraíso está entrando em seu terceiro mês de exibição e conquistou o público com a vingança de Clara (Bianca Bin, sempre ótima). A Força do Querer, a antecessora, merece todos os elogios possíveis, há tempos uma novela das nove não era tão aclamada (principalmente pela crítica), mas O outro lado do paraíso é frenética, polêmica, linda, com ótimos ganchos, música, elenco etc., por isso, leva o prêmio.
Além de A Força do Querer, merecem também aplausos Novo Mundo e Malhação Viva a Diferença.


Atriz: o ano foi incrível com relação às novelas, e como choveu boas interpretações na ala feminina. No páreo Bianca Bin, Paolla Oliveira, Letícia Colin, Ísis Valverde, Marjorie Estiano, Nanda Costa e Juliana Paes. 2017 foi de Bibi Perigosa, o melhor personagem de Juliana em novelas. Merecido!

AtorJúlio Andrade era pouco conhecido da TV, normalmente, figura bastante nas telonas e/ou séries da TV paga, mas o protagonista Evandro da excelente Sob Pressão (Globo) emocionou quem o assistiu. Em todos os momentos, Júlio foi simplesmente incrível. Bravo!
Menção honrosa: Emílio Dantas (Rubinho), Sérgio Guizé (Gael), Marco Pigossi (Zeca) e Caio Castro (D. Pedro I).

Minissérie: sem sombras de dúvidas, Sob Pressão, pelo enredo, pelas pautas, pelas interpretações, não deveu em nada às séries ER e Grey's Anatomy, julgo até melhor.

Vilã ou vilãoDébora Falabella foi a adorável (e louca) vilã Irene, de A Força do Querer. Espetacular! Menção honrosa: Marieta Severo, Emílio Dantas, Gabriel Braga Nunes, Leopoldo Pacheco e Jonathan Azevedo (Sofia, Rubinho, Thomas, Fred sem alma e Sabiá).

Melhor reprise de novela: foi um ano bom de reprises, na Globo, tivemos Senhora do Destino, no Viva, Tieta e Por Amor. Todas excelentes. A reprise do ano é Por Amor.

Ator coadjuvanteMarcelo Serrado (Malagueta).
Atriz coadjuvanteGlória Pires (Elizabeth/Duda).
Ator cômico: Guilherme Piva (Licurgo).
Atriz cômicaVivianne Pasmanter (Germana).
Melhor coisa na TV em 2017: o ano foi de boas novelas: O Outro Lado do Paraíso, A Força do Querer, Novo Mundo, Tempo de Amar, Malhação Viva a Diferença, Por Amor, Tieta, Carinha de Anjo, Pega-Pega, enfim, que continue do mesmo jeito em 2018. Palmas!
HumorísticoTá no ar: a TV na TV.
Infantil: não há bons programas infantis na TV aberta. O melhor, aliás, é uma série dos anos 70, feita por uma emissora mexicana e que nem passa muito na TV, é o Chaves.
Auditório: Domingão do Faustão (Globo). Este ano foram poucos os domingos que o programa deu menos de 20 pontos. Coisa rara.
ApresentadorSilvio Santos. O verdadeiro Rei dos domingos.
ApresentadoraXuxa (por Dancing Brasil).
Programa femininoMais Você.
Programa de esportesSportsCenter (ESPN Brasil).
TelejornalJornal da Globo, o mais noticioso do ano, o que mais tocou no dedo da ferida, não poupando os políticos corruptos. O melhor, pelo segundo ano consecutivo.
ÂncoraWilliam Waack, extremamente impossível (no bom sentido da palavra). William foi demitido esta semana por conta de um comentário racista (totalmente contra o ato praticado por ele), mas o profissional Waack vai fazer muita falta ao telejornal.
Reality: Dancing Brasil, da Record.
Melhor programa de entrevistasLady Night.
SurpresaTatá Werneck como entrevistadora de TV. A atriz, humorista e agora apresentadora divertiu e entra no time de Bial, Porchat e Gentili, conseguindo ser melhor que eles, se é que é possível. Jô e Gabi aplaudem de casa, com certeza.
Trio fantásticoa trupe liderada por Germana, Licurgo e Elvira (Vivianne, Guilherme e Ingrid) de Novo Mundo.  Inesquecível.
Par românticoJeizeca (Paolla e Pigossi).
Revelação feminina: Carol Duarte, a Ivana ou o Ivan de A Força do Querer.
Revelação masculina: Silvero Pereira, o Nonato ou a Elis Miranda de A Força do Querer.
Eles merecem muitos aplausos: Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Natália Thimberg, Laura Cardoso, Juca de Oliveira, Tônico Pereira, Betty Faria, Othon Bastos, Zezé Polessa e Elizângela. Espetaculares.

Considerações finais: o Corinthians foi o grande campeão brasileiro de 2017, conquistou seu sétimo título na competição. O Internacional voltou à Série A e seu arquirrival Grêmio abocanhou a Taça Libertadores da América.








A talentosa Cátia Fonseca

Em 1999, Cátia Fonseca substituiu Ana M. Braga no extinto Note & Anote. Não ficou muito tempo, pois segundo revistas da época, Cátia foi demitida ao levar uma 'puxada de tapete' de Claudete Troiano. A Gazeta, esperta, a contratou para apresentar o Mulheres. Cátia é uma apresentadora ímpar, e tal e qual Ana Maria, tem a confiança de seu público. A Band, precisando de up em sua programação, a contratou. A torcida, agora, é que a Band saiba aproveitar o talento de Cátia, com certeza, sua grande aquisição em anos. 

Em tempo: e como está linda a Cátia Fonseca, né não?

Na TV Gazeta, Regina Volpato assume o Mulheres em 8 de janeiro, com muitas chances de virar a titular pelos próximos anos. 

quinta-feira, dezembro 21, 2017

Os piores do ano, versão 2017

O Pânico de Emílio Surita, quem diria, se despede da TV sem deixar saudades.

Pior novela: A pior novela do ano é Apocalipse, a atual novela das oito da Record. Os ataques gratuitos à Igreja Católica e as alterações feitas pela filha de Edyr Macedo foram o estopim para a queda da TV Record, que há dois anos chegou a 28 pontos de audiência com Os Dez Mandamentos. O ator Flávio Galvão, que participa da novela, deu uma sugestão: - Não gostam da novela? Mudem de canal! Ok, Flávio! 

Pior ator: Fiuk, disparado! Sua interpretação destoava tanto do restante do elenco, que seu personagem Ruy começou a ser chamado de Ruym nas redes sociais.

Pior atriz: Não tem pra ninguém. A pior atriz do ano foi Camila Queiróz. Camila vem de bons papéis na TV: Angel e Mafalda (ambas de novelas de Walcyr Carrasco), mas sua atual, Luíza, é sem graça, apagada, ou seja, a atriz não deu conta do recado ao assumir o posto de protagonista de uma novela.

Pior vilã ou vilão: Susana Vieira (não deu muito certo como Cora). 
Pior ator coadjuvanteEriberto Leão (sofrível em O Outro Lado do Paraíso).
Pior atriz coadjuvanteNatália do Valle (interpretando o mesmo personagem há anos).
Pior ator cômico: Paulo Gustavo  (alguém conseguia rir com ele em A Vila (Multishow)?).
Pior atriz cômicaKatiúscia Canoro (também de A Vila).
Pior coisa na TV em 2017Pânico na Band está a cada domingo pior. Saudades da trupe de quando era da RedeTV! Muito chato! Pouco humor! Pouca coisa interessante. Lembra muito o Jackass. Faz tempo que andam copiando essa linha, porém, extrapolando no mal gosto. Marcelo de Carvalho riu muito ao saber do término do programa. Não deixará saudades.
Pior humorísticoAdnight mudou em relação à temporada 1, mas continuou sem graça. Adnet, ótimo no Tá no Ar e na Escolinha, precisa de umas aulas com a colega Tatá, perfeita em Lady Night (por que a Globo não investe nesse programa na TV aberta?).
Pior programa de auditórioMesmo a Record ser especialista em programas de sensacionalismo, todos muito ruins, lê-se Domingo Show, Gugu e A Hora do Faro, o saturado Domingo Legal, do SBT, merece muito mais o prêmio de pior programa de auditório, por ser uma cópia mal feita desses programas citados.
Pior apresentadorGeraldo Luís. (João Kléber é melhor que ele).
Pior apresentadoraSabrina Sato. Houve uma época que não podia nem escutar a voz da Luciana Gimenez, mas perto de Sabrina, como la Gimenez cresceu como animadora de TV, né não?
Pior programa femininoMelhor pra você (Redetv!) (e olha que o Hoje em Dia está ruim demais).
Pior programa de esportesOs donos da bola (Band) (Quem gosta do Neto levanta a mão!). Pelo segundo ano consecutivo.
Pior telejornalCom a entrada do jornal Primeiro Impacto, o SBT descambou para a falta de compostura e de ética. Ganha o título de pior telejornal de 2017. 
Pior âncoraDudu Camargo. (Dudu é jornalista? Colocá-lo à frente da bancada é pedir para os telespectadores mudarem de canal. Ele é muito forçado. Chega a ser angustiante).
Pior reality: The Voice Brasil (sério que escolhem a melhor voz do Brasil?).
Pior programa de entrevistas: todos são bons (mesmo).
Foi mal: Lazinho com você. O argh vai desde o nome da atração até seu formato.
Pior série: Mister Brau (está chata).
Pior reprise: O Fim do Mundo (VIVA).

Considerações finais: Coritiba e Avaí estão na Série B.