BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, novembro 04, 2017

Domingão do Evaristão

A primeira vez que vi o jornalista Evaristo Costa na TV foi em uma reportagem para o Mais Você e um fato que marcou foi a insistência dele de não ser chamado de Vavá por Ana Maria Braga: - Ele não gosta (riu Ana Maria na época). Evaristo sabia o que queria. Talentoso, logo chamou a atenção do pessoal da Globo e pouco tempo depois era o apresentador do Jornal Hoje, onde formou a melhor dupla de âncoras da TV: Evaristo e Sandra eram a cara do Jornal Hoje e o Jornal Hoje carecia dos dois. Seus substituto também é bom (afinal, ninguém é insubstituível).
Evaristo seria o sucessor natural de Bonner, mas ele não quis. Sim, caro leitor, ELE não quis. Evaristo pediu a conta da TV e está viajando o mundo. Quem tem Instagram e segue o jornalista sabe o que ele está fazendo da vida diariamente: lá está o Diário do Evaristo, ou aquilo que ele quer que saibamos dele. Até aí tudo bem! 
A pergunta é: qual é a do Evaristo? Ele saiu da TV, mas parece que não quer sair do show business. Na época de sua saída da TV, surgiram boatos de que ele seguiria o mesmo caminho de Fátima Bernardes. Evaristo Costa vai se dar bem se virar apresentador de entretenimento. Um Domingão do Evaristão deve bater recordes de audiência. Não conheço (AINDA!) ninguém que não goste dele, mas foi deselegante, imperdoável e indelicado o seu Evaristo falar que sente saudades do pastel do Brasil em uma pergunta sobre a colega Sandra Annemberg. Evaristo, espontâneo, brincalhão, tem ingredientes básicos para comandar um show na TV, mas ser deselegante com a Annemberg não pode. Retrate-se já.
Faustão está anunciando sua aposentadoria há anos. Gosto do Faustão, mas prefiro o Evaristão. Quando tempo falta ainda para o Evaristo terminar de conhecer o mundo e voltar à TV?
Em tempo: a primeira entrevista dele tem que ser com a Sandra. Só pode ser com ela.

Obs.: Faustão é o apresentador que mais dá audiência no país. Seu Domingão fecha sempre com mais de 20 pontos de ibope.


Audiência de A Padroeira na TV Aparecida é pífia

A reprise de A Padroeira, na TV Aparecida, rende para a emissora 0,2 pontos de audiência na Grande São Paulo. A novela da Rede Globo é de 2001 e também sofreu com a baixa audiência (para os padrões da época). A emissora n. 1 do país cedeu a novela em virtude das comemorações dos 300 anos de N. Senhora Aparecida. A trama é apresentada às 19h com reprise às 22h30. Os 0,2 refletem a falta de propaganda. A turma do marketing da emissora ficou devendo, pois mesmo A Padroeira não ter sido um sucesso no passado, podia pelo menos chegar a 1 ponto (ou mais perto), visto que a Missa exibida pelo canal sempre passa dessa marca. Os filmes de Mazzaroppi costumam marcar mais de 0,5 ponto.
A interpretação dos protagonistas, leia-se Deborah Secco e Luigi Baricelli, comprometeram o andamento da trama: a intérprete de Cecília, aliás, nunca se deu bem com mocinhas, a Sol de América (2005) foi outro insucesso. Maurício Mattar como Fernão carregou A Padroeira nas costas.

Nota da novela: 6,0 ⭐

Enquanto isso... na Globo: a emissora carioca anunciou o retorno de Celebridade (2003). Estreia no final de novembro. Boa escolha.

sábado, outubro 28, 2017

O Outro Lado do Paraíso, primeiros capítulos

Após o fenômeno A Força do Querer, O Outro Lado do Paraíso chega com a difícil missão de manter (ou aumentar) os números de audiência. Se fosse analisar apenas o primeiro capítulo da novela de Walcyr Carrasco, argh!, seria uma morte horrível: faltou emoção, aventura, enredo. Nem o jeito de filme apresentado nos primeiros minutos salvaria. No entanto, veio o segundo capítulo e um "PUTS! Que novelão!" pairou no ar. Fortes emoções. Grandes atuações. Enfim, O Outro Lado do Paraíso mostrou a que veio. O terceiro capítulo foi ao ar apenas na quinta (quarta foi o dia de temer). E mais um baita capítulo.
O Outro Lado do Paraíso me conquistou. O quarteto principal rende boas histórias e estão interligados: Grazi, Bianca Bin, Guizé e Rafael Cardoso estão ótimos. Destaque para o assunto violência doméstica tratado já no segundo capítulo. Todo esse núcleo é especial. O embate de Marieta Severo e Lima Duarte no capítulo 4 foi outro ponto alto. 
Saindo do Tocantins, vamos até o Rio de Janeiro, lá tem o núcleo da Gloria Pires. Percebam a naturalidade de Gloria em cena. Parece que a atriz está na sala de nossas casas conversando, literalmente. Com Gloria, brilham Bárbara Paz e Juca de Oliveira. Elizabeth, ainda, virou amiga de Clara, que foi para a cidade maravilhosa em lua-de-mel. Em tempo: o núcleo das duas se juntará a partir do momento em que se descobrir se tratar de mãe e filha. Haja emoção!
Marieta Severo como Sophia é a Susana Vieira como Branca (Por Amor, 1997, em reprise no VIVA). Sérgio Guizé é Fábio Assunção (Marcelo), Grazi Massafera é Carolina Ferraz (Milena) e Juliana Caldas é Murilo Benício (Leonardo). A diferença é que Walcyr deve mexer um pouco mais na ferida.
4 capítulos depois, O Outro Lado do Paraíso teve 1 primeiro capítulo mais ou menos e três seguintes espetaculares.
Aguardando Laura Cardoso e as suas cenas com Fernanda Montenegro.

Mais destaques: Eliane Giardini, Erika Janusa, Ana Lúcia Torre, Sandra Corveloni, Vera Mancini, Caio Paduan, Fábio Lago, Marcelo Novaes, entre outros.

Audiência:

Capítulo 1: 35 pontos.
Capítulo 2: 33 pontos.
Capítulo 3: 32 pontos.

Novela de Walcyr Carrasco.
Direção de Mauro Mendonça Filho.

Nota: 9,0 (Até agora).⭐⭐⭐⭐

sexta-feira, outubro 27, 2017

Gostei e não gostei do final de A Força do Querer

A Força do Querer terminou no último dia 20 marcando 50 pontos de ibope, perdendo apenas para Avenida Brasil nesta década (a novela da Carminha marcou 52 pontos). A diferença é que A Força do Querer recebeu uma audiência baixíssima de sua antecessora (A Lei do Amor), Avenida recebeu em alta (a antecessora era Fina Estampa). Glória Perez trouxe de volta a hegemonia do horário nobre.
A autora deixou tudo para o último capítulo, exceção à morte de Irene. Esse foi seu erro.
O último capítulo foi bom, mais de duas horas de pura emoção, porém, para ficar perfeito, A Força do Querer precisaria de pelo menos mais uma hora.
A história de Ruy e Zeca se reencontrando, de fato, descobrindo os laços que marcaram suas vidas desde quando eram crianças, merecia mais destaque. Faltou emoção. Era para ter sido a cena do último capítulo. Ainda sobre os dois, Ruy foi julgado? 
Ritinha foi com Ruyzinho para Las Vegas de um dia para o outro. Sem passaporte? Sem autorização dos pais? Ruyzinho, aliás, recebeu o sobrenome de Zeca?
Bibi ficou pouco tempo na cadeia. Pelo menos foi isso que pareceu.
Muitos personagens ficaram sem final: Heleninha, Cândida, Mira etc.
Faltou também mais enfoque na relação Eurico e Nonato/Elis Miranda. Uma pena.
O resto foi tudo muito bom, mesmo!
Juliana Paes, Carol Duarte, M. Fernanda Cândido, Lília Cabral, Débora Falabella, Humberto Martins, Betty Faria, Jonathan Azevedo, Elizângela, Paolla Oliveira, Silvero Pereira, Marco Pigossi, Zezé Polessa, Tonico Pereira, Dan Stulbach, Emílio Dantas, entre outros, merecem todos os elogios, bem como toda a equipe de Rogério Gomes. 

Foi um fenômeno de audiência:

Capítulo 1: 33 pontos.
Último capítulo: 50 pontos.

Média final: 36 pontos.

Nota da novela: 10,0.⭐⭐⭐⭐⭐

terça-feira, setembro 26, 2017

Os 10 mais de Novo Mundo, melhor novela das seis em anos

Novo Mundo foi "uma grande novela, com grandes atores", parafraseando Elvira Matamouros. O último capítulo não parecia último capítulo e destoou do que a novela apresentou durante meses. Por que não teve duelos? Espadas? Humor? Ainda assim, o folhetim foi o melhor do horário em anos (mais que Cordel Encantado e Eta Mundo Bom!).

Os 10 mais de Novo Mundo são: 

1º lugar: Letícia Colin como Leopoldina, a verdadeira protagonista da novela. O sotaque, o sorriso e a linda interpretação da atriz trouxe à tona uma nova vertente para a princesa. Adorável.
2º lugar: Vivianne Pasmanter surgiu irreconhecível como Germana. E não houve quem não se divertiu com a personagem. Do início ao fim, Germana, porca e preguiçosa, levou o público às gargalhadas. Aplausos para a Fiona da novela das seis!
3º lugar: Elvira Matamouros é uma grande atriz, tal e qual Ingrid Guimarães, sua intérprete. Ingrid emocionou sim, muitas vezes, mas foi na comédia que se sobressaiu. Impagável. 
4º lugar: Licurgo fecha o trio que divertiu aos montes. Foi Licurgo quem inventou a feijoada, a pipoca, o cachorro quente. Guilherme Piva (o Shrek) foi o melhor ator da novela, sem dúvidas.
5º lugar: Caio Castro tomou gosto pela atuação. D. Pedro é mais um bom personagem na galeria do ator, melhor até que Grego (seu melhor papel em TV até D. Pedro).
6º lugar: Mesmo aparecendo pouco, Leopoldo Pacheco deixou sua marca na novela. Fred sem Alma foi um vilão à altura de seu talento, e Leopoldo mostrou que não existe papel pequeno para um grande ator. Bravo!
7º lugar: Joaquim foi o herói de Novo Mundo: e o herói lutou com toda a coragem do mundo, do começo ao fim, e sempre com um sorriso no rosto. Palmas.
8º lugar: Quinzinho passou mais da metade da novela mudo. E não houve quem não se derreteu aos encantos do menino prodígio. Quando resolveu falar, conquistou mais gente ainda. Quinzinho prometeu que vai ser um grande ator e um grande filho, e alguém dúvida? Théo Lopes, anotem: tem futuro.
9º lugar: Sebastião foi maléfico! E Roberto Cordovani deu vida a um vilão memorável. Mestre das artes, que volte logo às novelas!
10º lugar: Gabriel Braga Nunes como Tomás, um inescrupuloso vilão, na medida certa.

Aos autores, à produção, à direção, nossa gratidão!

Nota da novela: 9,0. ⭐⭐⭐⭐

Dancing Brasil 2: final

A final do Dancing Brasil n. 2 bateu seu recorde de audiência: 8 pontos com picos de 10, 1 ponto a mais que a final do Dancing 1. Yudi foi o vencedor, num final anunciado. O Dancing 2 é inferior ao 1, em muitos sentidos. Os artistas do primeiro eram melhores, com mais carisma e garra. Yudi, claro, na segunda edição foi a exceção.
Os jurados foram sublimes e o diferencial, principalmente se comparados ao júri do Dança dos Famosos. Enquanto que no Faustão as notas variam entre 9,8 e 10,0, na Xuxa, houve muitos 4,0 e 5,0.
O Dancing 3 foi confirmado para o ano que vem, mas antes acontece o Dancing especial, show de fim de ano da Record.
Ao Yudi, parabéns.
À produção, mais atenção com o elenco do n. 3.
À Xuxa, ótima como sempre.
Que venha o próximo.

Nota: 8,0. ⭐⭐⭐