BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sexta-feira, julho 08, 2011

Caminho contrário

Em 1996 a Rede Globo reprisou a novela Meu Bem, Meu Mal, do célebre autor Cassiano Gabus Mendes e a história era ótima. Tinha a Isadora Venturini (Silvia Pfeifer, que eu sempre gostei, apesar do turbilhão de críticas que a atriz recebia e recebe), dona Catifúnda (Zilda Cardoso, a saudosa comediante merece um post só pra ela, aguardem!), um Lima Duarte pedindo melão ao invés de mamão, essa cena nunca me saiu da cabeça! Adriana Esteves, linda, talvez a mais bela mulher da época. Vera Zimmermann e Guilherme Karam (vai dizer que nunca ouviram falar da Divina Magda?), mas ainda não é disso que quero falar... Fuçando a internet agora a pouco chego a coluna de Leo Dias, do Retratos da Vida do jornal Extra e flagro dona Lídia Brondi, aos 52 anos. Quem é da época ou assiste a Vale Tudo sabe muito bem de quem estou falando. Lídia era uma puta de uma atriz, tanto que lá pelos idos dos anos 1980 as mocinhas da vez eram Glória Pires e Lídia Brondi. Glória continua até hoje e sempre superando expectativas, mas Lídia resolveu parar. No ano de 1991, ela largou o osso ainda no auge, o que espanta, quem em sã consciência deixaria para tráz fama, dinheiro e sucesso? Lídia, hoje, é formada em psicologia e atende seus clientes numa clínica própria. Além disso, a ex-atriz dá consultas gratuitas dentro do Programa de Atendimento a Vítimas de Violência e Estresse (Prove). Lídia atende pessoas que sofreram algum tipo de violência urbana. Sua vida atual é dedicada ao novo trabalho, com longas jornadas — dificilmente ela é encontrada em casa antes das 22h.
A partir do dia 18, Lídia volta à telinha do Viva com a reprise de Roque Santeiro. Ainda assim, 20 anos depois de ter decidido parar com a carreira, Lídia é lembrada, apesar de não ser mais reconhecida nas ruas.
Em cena com Cássio Gabus Mendes na novela Vale Tudo, de 1988. Cássio é marido da ex-atriz.
Na época foi diagnosticado 'síndrome do pânico' e Lídia, que fez tratamento decidiu encerrar os trabalhos como atriz.

4 comentários:

  1. Já conhecia a história dela e acho muito digna!
    Largou a carreira no auge para ser feliz com a família. Isso é o que importa!

    ResponderExcluir
  2. Verdade Britto, concordo, concordo, concordo!
    abs figura...

    ResponderExcluir
  3. Rapaz, esse pra mim é um dos maiores enigmas da TV. Lídia Brondi era muito estrela, e era linda. Eu lembro dela na época de Roque Santeiro, era A gatíssima. E o estardalhaço que foi o visual dela em Vale Tudo, mulherada toda copiando.

    Eu tenho particular lembrança carinhosa pela participação dela em Tieta, mas é coisa pessoal minha.

    Ia mesmo te perguntar se ela continuava casada com o Cássio Gabus. Bom, espero que esteja feliz deve estar. A gente fala dessa vida de famoso, mas sei lá, não deve ser fácil. Eu sempre digo que queria ter sucesso, mas dispenso ser famoso.

    Mais dois pontos:
    1) Outro exemplo, um pouco menos intenso é o da Lisandra Souto. Virou dona de casa por opção, deixou uma carreira que estava começando. E agora vem o Tande, que tá horrível e vira apresentador. Isso é outra coisa que dá post lá no blog também, vai me lembrando, rs.
    2) Adorei como vc descreveu Meu Bem Meu Mal, eu adoraaaaaaaaaaaaaaaaaava a Isadora venturini (e o melão e a catifunda). Eu revi algumas cenas no Youtube um dia desses, a Silvia Pfeiffer nem era tao ruim. Agora, não acho que a Adriana Esteves era a mais linda da época não. Nisso aí vou discordar, hehehe.

    Adorando os posts, não posso passar tanto tempo sem vir não, essa correria do caramba.

    ResponderExcluir
  4. Tu lembrou bem: Lisandra Souto (que tb fez Meu bem meu mal, era filha da Silvia Pfeifer se não me engano) era lindíssima, boa atriz, lembro dela com carinho em 4 x 4. Será que virou dona de casa por opção mesmo? Ou por puro machismo, ciúmes, sei lá? Num havia me tocado numa coisa que tu falou: agora vem o Tande! Quem entende...
    E Lídia era tudo isso que tu falou, sem tirar nem por.
    Abs...

    ResponderExcluir