BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

terça-feira, outubro 04, 2011

Humoristas espetaculosos

A polêmica em torno das declarações de Rafinha Bastos, um dos integrantes do CQC da Band, resultou em uma suspensão temporária do mesmo na atração. A arrogância do rapaz teve seu estopim, na semana passada, quando ele declarou que 'comeria tanto a cantora Wanessa quanto o bebê que ela espera'. A frase pejorativa provocou a ira dos telespectadores e twitteiros de plantão. Choveram críticas. E todas merecedoras de repúdio. Aliás, não é só o Rafinha Bastos e a turma do CQC os novos algozes do humor brasileiro. A máxima da frase "quem fala o que quer, ouve o que não quer" nunca esteve tão eloquente na tevê. Na Redetv! temos uma turma que arrebenta nas rádios e seu começo na tevê também foi espetacular. Falo do Pânico. Os novos humoristas acham que podem falar o que querem e na mesma proporção se irritam quando são cobrados por isso. É regra na sociedade, você tem que se adequar, o seu limite termina quando começa o do outro, aprende-se isso na escola e com nossos pais, desde pequenininhos. É assim com todo mundo! O Pânico ganha a vida ofendendo celebridades e anônimos, acreditem, assim como não é engraçado ficar rindo de um cidadão sem dente, não é engraçado brincar com os sentimentos de pessoas famosas, que acima de qualquer coisa também são seres humanos. 
Por fim, o Legendários de Marcos Mion. No último sábado, houve um concurso com mulheres 'bem avantajadas' para saber quem dançava melhor uma música de funk. Colocaram as mesmas em situações constrangedoras, as zoações não tinham fim e as câmeras não perdiam um lance dos belos corpos (nem tão belos assim, afinal mulher tem que ser delicada, ter traços femininos e se comportar como tal), como se todas elas estivessem à venda. Isso é humor? Que fique bem claro que todos eles são talentosos em suas áreas, mas para fazer humor hoje em dia no Brasil precisa buscar o que o ser humano tem de pior? Há necessidade de fazer rir zombando de alguém, enaltecendo os defeitos dos outros? 
Sou do tempo da turma dos Trapalhões, não consigo compactuar com esse show de horrores que assola a televisão brasileira. 

5 comentários:

  1. O problema é que eles se acham os donos da verdade.
    Eles levam as brincadeiras para o lado pessoal, como estão no ar, tem a desculpa de se tratar de brincadeira.
    Mas como não somos tontos nem nada, não cola com a maioria.
    Por isso que eu digo: Chaves é cultura! Isso sim é humor inocente.
    Mas deixo claro que gosto do Rafinha, acho ele inteligente e divertido. Ele só passa dos limites.

    ResponderExcluir
  2. Acho que esse pessoal de stand up tem que fazer seus shows no teatro e não na televisão
    Público diferente e visão também
    ...

    ResponderExcluir
  3. eu sou fã de stand up, mas o que o Rafinha faz é grosseiro, e o humor na tevê se encontra desse jeito, não basta tirar uma onda com celebridades, tem que humilhá-lo, é disso que sou contra. abs...

    ResponderExcluir
  4. Não acho graça neste pessoal. Nem comentário sobre eles sei fazer...mas que foi de mal gosto aparecer em cima de uma piada, ah, isto foi.

    E o pior de tudo é saber que é o cara mais seguido do país no twitter.

    ResponderExcluir
  5. Tirando o Renato Aragão, adorava os Trapalhões!

    ResponderExcluir