BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, janeiro 28, 2012

Pimenta no (vocês sabem!) dos outros é refresco!

A Adriane Galisteu está fazendo o que mais gosta, só que na TV: aparecer. O novo programa dela na Band consegue um ibope que varia de zero a 7 pontos e é quando o pico da audiência está lá em cima que ela faz e acontece. E é lá que ela reclama de quem não gosta também. Depois de ler uma notícia da Fabíola Reipert, comentou o assunto, fez aquele estardalhaço que esse tipo de programa pede e no final disse que não gostava da jornalista, diz ter seus motivos. O fato é que a Fabíola vive malhando em cima da Adriane. Pimenta no dos outros né? Paradoxo! Outra vez, brigou com o Clodovil (morto em 2009), verdade gente, isso aconteceu! E quando quer mesmo por lenha na fogueira pede a opinião de José Luís Datena, nitroglicerina pura. Adriane, em poucas semanas, já se pode se dizer odiada por Ana Paula Arósio (o programa de Adriane quer saber o que acontece com Arósio - a atriz não quer aparecer na mídia por nada e vive recusando convites de trabalho - com a desculpa de que o povo quer saber e o pior é que o povo quer saber mesmo!), Vildomar Batista (o Boninho da Record) e pela Vanusa e os filhos dela. Vanusa está em tratamento numa clínica de reabilitação e acusa Galisteu de importuná-la. E para isso, segundo os filhos da intérprete do Hino Nacional Brasileiro (se bem que se tratando de Vanusa e os filhos da Vanusa a gente fica sempre com o pé atrás, eles são outros que amam aparecer), vale tudo!, mentir, jabá, qualquer coisa mesmo, tudo pelo furo de reportagem. Calma Galisteu!! Adriane é sim uma das melhores apresentadoras do Brasil, tem boa oratória e é carismática, portanto, tem um nome a zelar e se quer ser ainda uma Hebe tem que ter os famosos bem perto. É só uma dica. Mas nem tudo são espinhos, o programa nem é de todo ruim, Galisteu trouxe consigo bons profissionais e que com aquela malemolência e bom e venenoso humor dão até uma relaxada e para quem gosta de futilidades (às vezes é bom vai!) é um prato cheio (e quente!). Paradoxo (de novo!).

Nenhum comentário:

Postar um comentário