BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, março 17, 2012

E o Pereirão virou 'inho', uma pena!

Quando a atriz Gloria Pires disse 'não' à Griselda para se dedicar a Norma de Insensato Coração (a atriz foi eleita a melhor atriz de 2011 - por conta da personagem - pelo APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte) e a Globo resolveu acreditar em Lília Cabral como protagonista absoluta de uma novela confesso que fiquei muito feliz. 'Enfim deram uma chance para essa estrela', pensei. Faz tempo que acompanho o trabalho dessa atriz. Lembro perfeitamente dela em Tieta, Pátria Minha, História de Amor, Anjo MauMeu Bem Querer e as tramas de 2000 pra cá todos aqui devem saber, ela brilhou em todas elas, o que quis explicar é que ela dá show na TV e não é de hoje, mas sempre roubou a cena em papéis secundários. Foi lhe dado um papel extraordinário.
Lília chegou a ser capa da revista Veja, o povo estava emocionado com a história do Pereirão. E na primeira fase da personagem a atriz segurou firme, estava fora de série, como sempre. Mas tudo mudou quando a personagem ganhou na loteria. A heroína ficou uma chata de galochas e a novela, muito inverossímil, ajudou a desconstruir uma personagem rica. Lília, acostumada a brilhar, se viu escondida, abatida, como se estivesse morta de vergonha. A personagem, cheia de conflitos, antes abraçada pelo público provocou repulsa, afinal, ninguém aguenta alguém que se acha sempre o certo, o que não erra, aquele que vive vomitando regras. Griselda foi uma dessas personagens que chega a dar ânsia. Muito da culpa, talvez 80% dela é do próprio autor que, visto o sucesso que a dupla Tereza Cristina (Christiane Torloni, que fez o inverso, começou muito mal e se corrigiu ao longo da história) e Crodoaldo Valério (Marcelo Serrado) fizeram, investiu pesado nos dois e esqueceu da personagem principal. Griselda ficou de lado, sua história se resumiu a resolver os problemas dos filhos. Os outros 20% é da direção e da própria atriz, que deu um tom de arrogância e superioridade a uma personagem que funcionava bem mais como vítima. Se antes Lília roubava o posto das protagonistas das novelas, sentiu na pele o que é ser colocada para escanteio. 
Com certeza a Globo deve continuar com Lília Cabral no primeiro time, outro autor jamais desperdiçaria o talento dela, mas em todo caso valeu a pena a homenagem por quem tanto já emocionou o público. E se Griselda não deu muito certo, pudera! Pouca gente se salvou em Fina Estampa, enfim, apesar de todo o sucesso (ela podia bem mais na reta final), a trama chegou em seus capítulos finais sem fôlego. 
Talvez o erro maior de Aguinaldo Silva foi tentar copiar descaradamente Senhora do Destino, seu último sucesso na TV. Ou seja, nem Griselda foi melhor que Maria do Carmo (Susana Vieira) nem Tereza Cristina superou Nazaré (Renata Sorrah).

4 comentários:

  1. Excelente texto Mr. TV!!!

    Esta novela é um saco, mas a massa gostou. Acredito que seja pelo sucesso de Crodoaldo e as maldades de TC, mas ele ainda a supera. A novela foi dela né.

    E realmente Lília foi desperdiçada. Uma pena e das grandes. Eu deixei de assistir a novela com frequência a partir do momento em que ela 'se vendeu' para ter o René.

    Para uma mulher com caráter como ela, comprar um restaurante para segurar a piroca foi foda. Dá a entender que até o bonzinho tem seu preço. Mas enfim, uma novela perdida e ruim.

    Como toda cópia xerox, ela não seria melhor, mas sim desbotada. Valeu!

    ResponderExcluir
  2. fato! A personagem não coube a lilian, não mesmo! é só assitir Divã e Viver a vida (as mais recentes) pra sacar um perfil mais social da atriz, cheia de erros, coflituosa, e não um personagem nada complexo como esse que aguinaldo deu a fabulosa atriz no segundo meio da novela... uma pena!

    ResponderExcluir
  3. mesmo sem ver novela escuto falar bem dela.
    eu já a vi no teatro e cinema e realmente ela manda muito bem.

    ResponderExcluir