BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quarta-feira, abril 11, 2012

A estreia de Máscaras

Se tem uma novela que está chamando muita minha atenção ela se chama Avenida Brasil, impressionado com a qualidade das cenas, o esforço de toda a produção em levar ao ar algo tão bom, tão logo começo a dar minhas críticas ao elenco, aguardem! Pois bem, ao terminar mais um capítulo dessa endiabrada trama, fiquei indeciso, acompanhar duas séries gostosas de se ver, Tapas & Beijos e Louco por Elas, ou assistir ao primeiro capítulo de Máscaras (de Lauro César Muniz), da Rede Record? Entusiasmado com os últimos capítulos de Vidas em Jogo, optei pela novela. Por ora eu estava adorando a trama, comentava comigo mesmo: - Bárbara! Gosto quando os autores nos fazem pensar. Mas por outro lado a considerei cansativa. Duas personagens chamaram minha atenção. Maria (Míriam Freeland) e Tônia (Daniela Galli). Míriam esteve perfeita no papel, mas tanta loucura me deixou angustiado, e por causa disso achei a estreia um tanto chata. E Daniela foi correta, não a conhecia ainda e foi eletrizante ver sua obsessão pela irmã, interpretada por Karen Junqueira. Máscaras é uma novela forte, com certeza vai abalar muito as estruturas da concorrência, mas o autor tem que cuidar com os excessos: um folhetim além de ser forte tem que ser agradável aos olhos de quem assiste. A trama me lembrou Torre de Babel, trama de Sílvio de Abreu de 1998, os primeiros capítulos foram demasiadamente fortes e afugentou o público, que voltou quando o autor suavizou o enredo. Às vezes menos é mais. Não gosto do ator Fernando Pavão, o protagonista Otávio, mas até que ele se saiu bem ontem, e Heitor Martinez Mello não deveria ter aceitado o papel, ou a emissora não deveria ter optado pela reprise de Vidas Opostas. O ator é vilão nas duas tramas, e apesar do Vale a pena ver de novo da Record não obter muita audiência, quem assiste as duas vai ficar cansado dele. Não acham? A cena do sequestro dos bebês foi um purgante, juro! Me deu até sono. Outro erro foi não ter diversificado a história. Com um elenco tão grande o primeiro capítulo ficou só com meia dúzia de atores, precisava ter nos apresentado outras figuras, talvez ali encontrássemos o equilíbrio, uma história de amor ou cenas de humor escracho para suavizar tanta polêmica.

4 comentários:

  1. Êba! Já fez um post sobre a novela Mr. TV!

    Olha, concordo com que você disse e eu esperava mais personagens, mais risadas e um pouco menos de drama logo de cara.

    Em entrevista a algum site ontem, o autor disse que sua novela é sofisticada e que o público C irá curti-la tanto como a novela do povo Avenida Brasil.

    Eu já discordo. Falar sobre distúrbio bipolar ainda é um risco para uma sociedade que não compreende o que é uma doença mental a fio. E também fiquei angustiado com as cenas de Maria, que mandou muito bem.

    Mas muito drama cansa a rapaziada, que quer ver mulher gostosa e risada. E esta história de sequestro com Máfia internacional vai cansar a minha beleza.

    E pra mim esta novela já começou errado: se Maria tem problemas psiquiátricos, pq seu médico não lhe medica para que o distúrbio seja controlado?

    Como disse, falar de problemas 'de louco' e que são tão comuns hoje em dia em novela, ainda é um fiasco.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. o mais perto que chego de novelas é lendo seus textos. acho bacana ver como vc gosta e como escreve bem a respeito. continue assim!
    abraços!

    ResponderExcluir
  3. Mr. TV, a novela tá bombando!!!!

    O que foi o capítulo desta segunda! Nussa!

    ResponderExcluir