BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

quinta-feira, janeiro 24, 2013

Ou Glória Perez investe pesado nos vilões ou Rodrigo Lombardi afunda de vez a insossa Salve Jorge. Argh!

Giovanna Antonelli é Helô, a melhor coisa de Salve Jorge, Globo, 21h.
Eu não sou o que se possa chamar de fã inveterado da autora Glória Perez, suas novelas são muito paradas, mas visto que ela escreve sozinha, sozinha mesmo, sem co-autores, a gente tem que dar a mão à palmatória, ela entende do assunto como ninguém, o que acontece é que a mesma anda muito repetida, e o público quer ousadia. De Salve Jorge, talvez pela primeira vez na história, vejo quase que esporadicamente, e olhe lá!, não me lembro uma outra vez que deixei de acompanhar uma novela das oito (nove). 
Do que vi até agora salvo Nanda Costa, Letícia Spiller e Giovanna Antonelli. A última, aliás, é a dona da história. Linda! La Spiller está comendo pelas beiradas e está ótima. E a protagonista ganhou meu coração. Mas para quem já teve que ralar bastante na vida e sofreu o pão que o diabo amassou, a mocinha anda muito tonta, por conta disso, cansei, abri mão. Acorda Glória Perez! Mas o que mais me motivou a deixar a novela das nove de lado foi o personagem Théo, de Rodrigo Lombardi. Não suporto a ideia de que aquele homem sonso é o CARA que as mulheres tanto procuram na vida. Deus do céu, haja paciência. Ele é tudo ao extremo! Machista demais, santinho demais, pegajoso demais, perfeito demais. Eca! Tudo isso misturado a uma atuação medonha do ator. Argh!
E a vilã? Quando a Glória Perez vai aprender que uma novela pra ser boa precisa de uma vilã presente? Não acho que Cláudia Raia esteja tão mal assim, como falam, acho que Glória Perez não está investindo no personagem que daria mais pano pra manga na atualidade. Atenção (e me corrijam se eu estiver errado): ninguém está nem aí se o Théo vai terminar outra vez com a Morena, tá todo mundo esperando a guerra travada entre a mocinha e a vilã. É tão difícil assim de entender dona Glória?
Salve Jorge divide opiniões aqui em casa, talvez por isso eu ainda volte a assisti-la. E se o que a autora prometeu para a personagem da Letícia Spiller (Antônia) vingar, ah! eu volto mesmo! O marido dela vai sumir pelo mundo com sua filha. Imaginem o desespero!


P.S.: a morte de Jéssica (Carolina Dieckmann) foi perfeita. Notaram? Novela sem um bom vilão não se torna uma boa novela. Sem mais.

8 comentários:

  1. Verdade....talvez, por isso eu preferia Avenida Brasil e suas vinganças onde não existem heróis..apenas maldade. kkk

    ResponderExcluir
  2. Essa novela é ruim demais. Não vejo salvação não!

    ResponderExcluir
  3. postei sobre isto no meu blogue também. passa lá! você NUNCA passa...

    ResponderExcluir
  4. Você disse tudo meu caro. Tudo.
    Eu gosto de algumas coisas que a Glória faz, geralmente as minisséries. De novellas eu realmente gostava de "Explode Coração" (que foi curtinha, 5 meses só.

    Mas "Salve Jorge", pelo que tô vendo, nao tem salvaçao mais nao.

    Abraço meu querido!

    ResponderExcluir
  5. Que esta novela é ruim, todo mundo sabe hehehehehe mas até que ela deu uma agitada com a morte da Jéssica. Estou gostando da delegada, que é bem mais esperta do que os que aparecem nas novelas....e que só descobrem as coisas no último capítulo.

    Abs!

    ResponderExcluir
  6. Salve Jorge é ruinzinha, isso é fato, mas já tivemos coisa pior, como Fina Estampa, por exemplo. A Glória pelo menos tem uma história pra contar...

    Realmente, a Giovanna Antonelli é a melhor coisa ali. A Helô é esperta e muito carismática. Aliás, ela e o Nero formam o melhor casal da trama. Spiller, Totia e até Nanda Costa, com quem eu tinha minhas reservas, estão ótimas em cena também. Agora, quanto a Claudia Raia, adoro ela, mas acredito que vilã não é o naipe dela. Já tivemos a prova disso mais de uma vez.

    Aaaah, Rodrigo Lombardi! Olha, nem culpo o ator, mocinho é chato por natureza.

    ResponderExcluir
  7. I am Linda Khanzetian, Doctor of natural Health, with the Washington Institute of Natural Medicine,
    located in Washington, D. Crowe, The Tony Rice Unit, Chesapeake and Aldridge,
    and Bennett & Gaudreau) on mandolin and mandola, Tony Williamson (mandolin), Chris
    Brashear (fiddle), and Tom Corbett (mandolin).
    Katz helps clients find relief from the pain without resorting to medications or invasive procedures.

    Some conditions affect basically one organ or tissue type, others are more widespread.
    Finally, I think anyone would be inspired by Lynda's story.

    Also visit my page ... William of Malmesbury

    ResponderExcluir