BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, dezembro 21, 2014

Um pouco de Alto Astral


Assim que começaram as chamadas de Alto Astral, que tem cheiro e enredo de novela das seis, mas ocupa a faixa das sete, fiquei empolgado, enfim acordaram. Gostei muito de Sangue Bom e Guerra dos Sexos, porém a baixa qualidade das histórias de Geração Brasil e Além do Horizonte, parecia ter afundado de vez os bons folhetins. O horário das sete sempre foi a meu ver o pior de todos. Salvo algumas exceções, as novelas das sete são sempre as piores. Sempre. O contrário das tramas das seis. Entra novela, sai novela e somos agraciados com ótimas cenas, atuações e enredo. Ainda vou comentar sobre Boggie Oggie, aguardem. 
Natália Dill traz um frescor a lá Escrito nas Estrelas e o tema espírita de Alto Astral, mas sem a mesma pretensão das novelas de Elizabeth Jhin ou Alma Gêmea, de Walcyr Carrasco ou o estrondoso sucesso A Viagem, da memorável Ivani Ribeiro, diverte e emociona. E sobre a intérprete de Laura, a mocinha teria tudo para ser a mais nova chatinha da tevê, mas não, Natália segura firme sua terceira protagonista. Pudera, desde Malhação, em sua estreia, a atriz mostra seu leque de boas atuações. 
Thiago Lacerda e Cláudia Raia, a dupla de vilões, é um acerto. Thiago é bom ator, não é o melhor, mas consegue imprimir toda a força do vilão-mor da trama. E a Cláudia, sempre criticada quando exerce a função de má em uma novela, a citar Ângela (Torre de Babel, 1998), Ágatha (Sete Pecados, 2007) e Lívia (Salve Jorge, 2012), porém, enaltecida em papéis de mocinha ou cômicos, vem acertando com as loucuras de Samantha, uma vilã muito divertida. Destaque para Sílvia Pfeifer, muito bem também.
Contudo, é de Sérgio Guizé a novela das sete. O rapaz é de longe o melhor, faz de cada cena um primor, e é do tipo que não precisa nem abrir a boca. Vida longa ao ator nas telinhas da Globo.
Alto Astral tem uma audiência crescente, merecida e comprova que o telespectador quer ver boas novelas, quer de volta clássicos, e não à toa O Dono do Mundo e A Viagem, tramas do início dos anos 90 são as maiores audiências do Viva. Acordaram, antes tarde do que mais tarde como diria dona Astrid Fontenelle. 

Em tempo: Alto Astral (escrita por Daniel Ortiz, baseada na história original de Andréa Maltarolli, morta em 2009) é a primeira novela sob o comando de Silvio de Abreu, o homem que decide o que entra ou não no ar na teledramaturgia da Globo. Está em boas mãos.

Um comentário: