BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

domingo, janeiro 25, 2015

A Viagem, último capítulo

Mulheres de Areia, A Gata Comeu, A Viagem, três grandes sucessos de Ivani Ribeiro, morta em julho de 1995, lá se vão vinte anos sem a melhor autora de todos os tempos. Da primeira lembro até de algumas falas nos inesquecíveis embates entre Raquel (Glória Pires) e Virgílio (Raul Cortez), meus personagens favoritos da novela das gêmeas mais famosas da TV. Mulheres de Areia eu sei de cor toda sua história, a assisti em todas as vezes que a Globo passou e assistiria novamente, com muito gosto. A Gata Comeu é outra que sempre vale a pena, mesmo! E A Viagem?
A saga de Diná (Christiane Torloni), Otávio (Antônio Fagundes) e Alexandre (Guilherme Fontes) foi reprisada pelo Viva, é a quarta vez que a história vai ao ar nas telinhas do Brasil e outra vez fazendo um enorme sucesso. Pudera! Foi a melhor novela espírita apresentada na teledramaturgia e olha que o assunto muito me interessa e Escrito nas Estrelas (2010), Anjo de Mim (1996) e Alma Gêmea (2005) foram muito boas.
Diná é o personagem mais parecido comigo, ela é mais cética, eu acredito em Deus, muito mesmo, mas às vezes fico estático perante os acontecimentos da vida. O porquê disso ou aquilo estar acontecendo. Diná é impulsiva, ciumenta, possessiva, enfim, cheia de defeitos, é humana, mas de um coração enorme, e por guardar para si tantos ressentimentos o mesmo não aguenta e ela morre. E não é que no outro lado da vida ela demora para entender que não está mais entre seus entes queridos. O reencontro com Otávio e com sua mãe são cenas de cortar o coração, de chorar mesmo, copiosamente.
Otávio é o ser evoluído, preparado pelo melhor amigo, um ser compreensivo e capaz de ajudar sem querer nada em troca. Otávio aprendeu tudo isso e foi o alicerce que Diná precisava para seguir em frente.
E por fim, Alexandre. O espírito do mal. Querendo vingança a qualquer custo destruiu lares, vidas e ao lado de Laura Cardoso protagonizou cenas que inspiravam um ao outro e nós aqui do outro lado, morríamos de raiva ou mesmo ríamos de algumas situações. Bravo! Guilherme em seu melhor momento da carreira, com certeza!
Ontem, 24 de janeiro, foi ao ar o último capítulo pelo canal Viva. E o folhetim de 1994 (é um remake do original de 1975, Tupi) segue muito atual e se porventura Globo, ou mesmo o Viva, quererem reprisá-la daqui alguns anos, é garantia de muita audiência, alguém duvida?
E a Globo Marcas que ainda não lançou nenhuma das três em DVD. 
A partir de segunda, 26, Pedra sobre Pedra, com Lima Duarte, Renata Sorráh, Adriana Esteves e Maurício Mattar nos papéis principais ocupa a vaga deixada por A Viagem. Uma ótima opção. 

2 comentários: