BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sexta-feira, março 20, 2015

Crítica: Babilônia estreou com pouca audiência, o que não é merecido e mostra uma Glória Pires como nunca visto antes e ao lado de outro monstro consagrado, Adriana Esteves. Nova novela das nove tem um quê de Vale Tudo, 1988, e isso é muito bom

Em 1991 ia ao ar pela Rede Globo a novela das oito O Dono do Mundo, trama que está fazendo o maior sucesso no Canal Viva, do grupo Globo. E naquela época sofreu com o sucesso de Carrossel, versão original da Televisa. 24 anos depois estreia na mesma emissora Babilônia, agora novela das nove, todavia também anda penando com a reprise de Carrossel, a versão brasileira. E tanto Babilônia quanto O Dono do Mundo são de autoria do renomado Gilberto Braga, o meu escritor favorito.
Babilônia, ainda, tem enfrentando o furor dos católicos e evangélicos, o folhetim trata do homossexualismo entre duas idosas, interpretadas com a maior delicadeza por Fernanda Montenegro e Natália Thimberg. Para fugir daquela história de vai ter beijo gay ou não, a dupla já selou um beijo bem demorado nas primeiras cenas, o que vier a partir disso é lucro. E vou na contramão da maioria, sinto dizer, mais beijos gays em TV não me chocam. Acho desumano espalhar que estamos vivendo os fins dos tempos por conta da orientação sexual de alguém. Me choca na verdade, filhos sendo espancados, mulheres idem, idosos sendo assassinados por bandidos, e estes tendo a lei a seu favor, saem em dias, meses, nunca anos da prisão, e claro! isso quando os mesmos vão para a cadeia e mais um tanto de atrocidades. Corrupção e etc e etc. Isso sim CHOCA!
Carrossel é sim uma boa novela, cheia de predicados, merece o sucesso que teve e que tem, mas a baixa audiência de Babilônia é estranha: em algumas praças chega bem próximo dos 40, em São Paulo, que é o que vale são 27, 28, 29 pontos. Pouco! A nova novela das nove da Globo é imperdível, algo muito próxima das recentes Avenida Brasil, 2012 e A Favorita, 2008. 
Glória Pires como Beatriz e Adriana Esteves como Inês estão incríveis, como de praxe das duas. Glória, que deu vida a Norma de Insensato Coração, que eu adorava, está ainda melhor, num papel à altura de seus maiores sucessos, as gêmeas Ruth e Raquel (Mulheres de Areia), Maria Moura (Memorial de Maria Moura) e Maria de Fátima (Vale Tudo). Beatriz é elegante, sedutora e má, muito má. Um charme. E Adriana, mesmo três anos longe da TV, enfrenta comparações com seu melhor papel até agora, a Carminha. Pura bobagem, tão logo se acostumam com Inês e esquecem nem que por alguns meses a loiraça do Tufão (Murilo Benício). Em suma, ambas já transformam Babilônia na melhor novela no ar. Fosse só isso, já estava bom, mas não. Tem a crítica social, em cinco capítulos, só cinco capítulos, podemos assistir os personagens da trama criticando a estrutura no país, as leis que só beneficiam bandidos, a falta de segurança, a desonestidade, a corrupção, é uma trama atual, e precisa! e é assim que tem que ser. Aplausos, muitos aplausos.
Mesmo com baixa audiência torço para que Babilônia continue ferrenha ao mostrar o Brasil do jeito que ele é, e talvez seja por isso a queda no Ibope, queremos porque queremos mascarar a podridão que se encontra nossa nação. E que os autores (além de Gilberto, assinam a trama João Ximenes Braga e Ricardo Linhares) reservem para os próximos capítulos mais Glória e mais Adriana (e eu confio que eles não vão marcar touca), talento a gente não se cansa de elogiar, nunca! JAMAIS!
Destaque também para Sophie Charlote, Tuca Andrada, Cássio Gabus Mendes, Marcos Palmeira, Camila Pitanga, Bruno Gagliasso, Carla Salle, Gabriel Braga Nunes e Val Perré, por enquanto só eles, a trama acabou de começar e muita gente ainda não pode dizer a que veio.
A direção de Dennis Carvalho é outra que dispensa comentários.
Com certeza vou comentar muito sobre Babilônia por aqui, não resta dúvidas, e tomara que até lá a audiência comece a caprichar e que o povo reveja seus conceitos. Preconceito é coisa do século passado. Saiu de moda faz tempo. Se aventure você também nesse conflito das nove. SIM, é sim, um novelão daqueles.



Um comentário: