BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS

sábado, fevereiro 17, 2018

Crítica: Deus Salve o Rei tem salvação?

Há um pouco mais de 1 mês no ar, Deus Salve o Rei, a novela das sete da Globo, é um fracasso de audiência e enredo. Ela estreou bem, segurando a audiência de Pega-Pega, de 29 pontos, mas nas duas últimas semanas se esforça para conseguir médias de 25 pontos. Inicialmente feita para conquistar os fãs de Game of Thrones, a novela, por causa do horário, mostra um festival de sangue raso, lutas que mais parecem lutas infantis, ou seja, deixa a desejar. 
As interpretações dos protagonistas são outro ponto negativo. Rômulo Estrela e Marina Ruy Barbosa são bons, mas a preguiça do enredo parece ter infectado ambos, eles precisam de cenas mais fortes, para mostrarem realmente o que podem fazer como intérpretes. Já Bruna Marquezine é uma nova versão de Cláudia Raia como vilã. Cláudia domina a comédia e se sai bem como mocinha, mas é robótica como vilã (Ângela, Ágata e Lívia são exemplos de Cláudia péssima como vilã). Bruna está robotizada, algo que Letícia Spiller sofreu muito com sua M. Regina de Suave Veneno (1999). A diferença era que M. Regina era engraçada e caiu no gosto do público. Spiller, depois, mostrou que sabe fazer vilã com a Viviane de Senhora do Destino (2005).
Deus Salve o Rei deveria ter ido pelo mesmo caminho de Que Rei Sou Eu, de 1989, e de Novo Mundo, 2017, investido no humor. Por isso, a novela deve (por obrigação) investir nos outros dois protagonistas, vividos por Johnny Massaro e Tatá Werneck.
A Globo já anunciou mudanças para Deus Salve o Rei e já mandou refazer a personagem Catarina. É um bom começo. No entanto, por enquanto, a trama das sete segue ruim.

Nota da novela até agora: 6,0 ⭐



2 comentários:

  1. Sinceramente pra mim essa novela já não tem mais jeito por um simples motivo: a história. Não tem nada pra contar a não ser o romance dos protagonistas... Não sei como vão sustentar por 6 meses, uma pena pois o horário das sete estava numa ótima fase.

    ResponderExcluir